31 de outubro de 2017

Perdoa nos Deus - é momento de nos prostrarmos e pedirmos perdão, e voltarmos ao primeiro amor



O Sangue de Abel

Fruto Sagrado
   

Perdoa-nos, ó Deus! Somos muitos e muitos e muitos
Semeando mais o mal do que o bem 
Perdoa-nos, ó Deus! Pois o mal que semeamos
Tem se virado implacavelmente contra nós
Perdoa o sangue derramado
Sobre a terra desde Abel

Perdoa-nos, , ó Deus!
Perdoa-nos... perdão.

Perdoa-nos, oh, Deus! Somos muitos e muitos e muitos 
Semeando mais o mal do que o bem 
Perdoa-nos, oh, Deus! Pois o mal que semeamos 
Tem se virado implacavelmente contra nós

Perdoa-nos, ó Deus!
Perdoa-nos... perdão.

Perdoa o sangue derramado
Sobre a terra desde Abel
Junte, ó Deus, nossos ossos secos
Sopra a vida mais uma vez

Perdoa-nos, ó Deus!
Perdoa-nos... perdão.

Nos perdoe, ó Deus
Pelo imperialismo, o nazismo, o comunismo,
O capital selvagem, impiedoso, inescrupuloso
A escravidão... a religião...
Sempre querendo te domesticar
Te encaixotar, te fazer de empregadinho
Perdão, por tanto fariseu se dizendo filho teu
Que não convenceu, que só dividiu
Levando muita gente boa pro covil
Nos perdoe, ó Deus, pelo terrorismo 
O holocausto, a pornografia, a pedofilia
A mentira! O dinheiro mal adquirido e mal repartido
A discriminação racial, social, irracional... 
Nos perdoe, ó Deus!

30 de outubro de 2017

Os detalhes


Eu estava sentada a uma certa distância, discreta o suficiente pra não notarem meu olhar de espectadora. E ali, bem ali estava a cena, dois segundos, ainda bem que eu não me distraí! Ela estava com a mão sobre a mesa e ele com a mão sobre a dela e os dois se olharam por dois segundos com aquela coisa que derrete as pessoas por dentro. Sabe, aquela coisa que todo mundo quer ter... Tudo que fiz foi tentar não sorrir muito, nem chorar de emoção. Ia parecer estranho que eu estivesse sorrindo pro casal de senhor e senhora apaixonados, ou que estivesse assoando meu nariz em algum guardanapo, inadvertidamente. A cena durou menos de 2 segundos, logo a senhora brincou com um neto e o senhor continuou sua bebida. Mas a questão ficou capturada no meu peito, como uma fotografia. Eu procurei a resposta num dia em que minha mãe escreveu uma carta de dia dos namorados pro meu pai, eu não sei quantos anos eu tinha, mas ainda não tinha licença pra namorar. Ela disse: ''agora você não pode ler o que tem aqui, mas um dia você vai ter um namorado e vai poder escrever pra ele também''. Enfim, o casamento deles tem a minha idade! Seja o que for que tinha na carta... funciona até hoje. E além do mais, contribuiu pra que eu acreditasse nesse "diferente secreto". Até por que as coisas bonitinhas deles se resumem nesse breve comentário que é a razão pela qual gosto muito do meu nome: " O casal teve uma menininha careca e gorda e colocou nela o que seria o feliz encontro do nome deles." E graças ao bom senhor Jesus Cristo vivo, eles tinham um nome normal, e combinando saiu Juliane. O que eu quero mesmo dizer, é que, de todos os ângulos, nós nunca temos garantia. A vida não oferece certezas e estabilidade, por que isso é atribuído a nós (bom, nem sempre). Não importando a crença, nós fomos criados pra "ordenar o caos" (nem sempre), aí vêm os tempos modernos dizendo que tudo não passa de besteira. Tudo é uma transação comercial e é feliz na vida aquele que mais se perecer com o pavão. Qual é gente?! É só isso? Sério? E aquela história de significado, de importância, valores? É tudo papo furado? Só por que a televisão diz que tudo bem, então tudo bem? Eu sempre gostei de pensar que eu teria minha própria história pra contar e que ela ficaria ali, presa em dois segundos sob o olhar de alguém que pudesse reconta - la. Eu não conheço a história daquele casal, mas gostaria de imaginar que diferente do protótipo da perfeição, eles já passaram por problemas, uns corriqueiros, outros muito sérios. Se magoaram, ficaram tristes. Mas se importaram um com o outro e foram corajosos o suficiente pra não quebrar o elo. De repente eu aprendi que não importa o destino, nunca quebre o elo. Não importa o que digam ou que haja alguma estatística falando sobre a margem de erros. Não quebre o elo. As coisas podem ficar difíceis, mas ninguém sobrevive sem uma dose de desafio. Tudo muito fácil enjoa... não é?! As grandes coisas da vida se mantém por que são grandes, mas precisam das pequenas pra terem significado. "Basta um olhar, um toque e nada mais..." As vezes perdemos nossas grandes "coisas" por causa de outras coisas tão sem importância. Por isso, na dúvida, escreva sempre uma carta, e não quebre o elo. O mais importante do todo, são os detalhes.

29 de outubro de 2017

INCA - Instituto Nacional do Câncer (Rio)



Informações para quem mora no Rio de Janeiro (ou que queira vivenciar boas experiências):
Quem conhece os INCA? O INCA é o Instituto Nacional de Tratamento de Câncer. Eu me trato na unidade do Centro, já há 3 anos. Lá na unidade do Centro, existem muitas crianças se tratando também, adultos, velhinhos, pessoas internadas, que fizeram procedimentos, cirurgias, transplantes (por que lá dentro, tem o CEMO (que é o centro de transplante de Medula). Porque eu estou falando do INCA? Pra incentivar você, sua igreja, sua corporação, seus amigos, sua famíla, a serem pessoas que podem ajudar pessoas. Como isso pode ser feito? Eu vou dar pra você 5 coisas hoje que você pode fazer, que são simples e que pode ajudar as pessoas que têm câncer, e o legal, é que se você não for do Rio, você pode praticar na sua cidade/estado:
1- Doar sangue, plaquetas e medula;
2 - Doar brinquedos;
3 - Doar alimentos não perecíveis;
4 - Doar roupas e calçados em condições usáveis;
5 - Fazer visitas, levar alegria.
Olha que legal! Aqui nesse link que estou colocando, tem todas essas dicas e mais:
Seja solidário, olhe pra quem a sociedade insiste em não querer olhar, são pessoas maravilhosas, passando por tempestades, como todos nós passamos, e as vezes, nós podemos ser os remos e barcos pra essas pessoas atravessarem o momento difícil! Existem muitas coisas bonitas que podem ser feitas no mundo pra melhorar ele!
Conto com vocês, nessa luta! <3

Music Box Studio - Tijuca - Rio de Janeiro

JÁ MARCOU O ENSAIO DA SUA BANDA, COM O MUSIC BOX STUDIO?

Precisando de um estúdio na Tijuca e região? Conheça o Music Box Studio!

Sala ampla com equipamentos de ponta (Fender, Marshall, Ludwig, Hartke, GK, EV, Shure e muito mais). 

Marque o seu horário: (21) 2572-1106 / 98827-1106

Conheça o novo Site: musicboxstudio.com.br

O Music Box Studio também tem Facebook, onde você pode ver nossas atividades mais recentes:











Escudo Sob Medida - Atende Todo Brasil e Exterior

Você possui um time de futebol e precisa de um escudo novinho em folha ou remodelar aquele antigo? Então oferecemos uma ótima oportunidade!
Traga a sua ideia que chegaremos a um excelente resultado!

Está sem ideia? Então jogue essa bola pra gente que a gente mata na caixa e faz o gol. Remodelamos, redesenhamos e fazemos reparos no seu escudo atual.

Contato:

Daniel Accioly

E-mail: daniel.accioly1@gmail.com

WhatsApp: (21) 98635-5144

Instagram: @escudosobmedida

Facebook: https://www.facebook.com/EscudoSobMedida/?fref=ts

Site (novinho): www.escudosobmedida.com.br



Julio Magalhães Serralheria - Petrópolis

Uma Serralheria tradicional em Petrópolis, com mais de 20 anos no mercado, agradando clientes desde sempre! Especialista em: Portas, Portões, Portas Pantográficas, Basculantes, Vitrô, Escada Caracol, Porta Social, Estrutura Metálica, Portas de Aço, Fechamento de Áreas. 

Entre em contato pelos seguintes telefones: (24) 2249-2618 ou (24) 98829-0974






Eliane Schimel Modelista & Costureira Sob Medida- Petrópolis

Você precisa de roupas sob medida? Está cansada de procurar e não achar as roupas que você deseja usar? Não encontra o vestido de noiva Ideal? Seus problemas acabaram, Eliane Schimel Modelista & Costureira Sob Medida, faz modelagem com graduação de tamanhos, corta, faz peça piloto, faz roupas sob medida da mais simples ao vestido de casamento, faz reformas em roupas já usadas, bainhas e consertos em geral.

Entre em contato por e-mail: elianeschimel@gmail.com

ou

via in box pelo Facebook: https://www.facebook.com/ElianeSchimeldeMagalhaes

Das duas formas, forneço o meu número de telefone pra conversarmos, sobre orçamentos!!


#Modelo #corto #costuro #TragaSuaIdeia #conserto #reformo #Noiva








Julio Magalhães Serralheria - Petrópolis

Uma Serralheria tradicional em Petrópolis, com mais de 20 anos no mercado, agradando clientes desde sempre! Especialista em: Portas, Portões, Portas Pantográficas, Basculantes, Vitrô, Escada Caracol, Porta Social, Estrutura Metálica, Portas de Aço, Fechamento de Áreas. 


Entre em contato pelos seguintes telefones: (24) 2249-2618 ou (24) 98829-0974





Lizia Willmersdorf - Fonoaudiologia, Desempenho Escolar e Psicopedagogia- Ipanema - Rio de Janeiro




APRENDA A ESTUDAR!!! Dúvidas na Escola? Nós podemos ajudar! Não deixe para o final do ano! Recupere suas notas com a ajuda de profissionais especializados.

Tel: (21) 3813-1074

Atendimento individual e em grupo
Reforço escolar de todas as matérias do primeiro e segundo grau
Acompanhamento escolar
Atenção, concentração, organização, memória visual e auditiva
Produção textual (redação)
Alfabetização
Psicopedagogia
Fonoaudiologia

Venha nos visitar!!

No Instagram: @liziawillmersdorf

ou

Na Rua Visconde de Pirajá , 281 Salas 216/217
Ipanema , Rio de Janeiro - RJ

27 de outubro de 2017

Discípulos †eus - Estudos : Devocional Diário - Não Desanime!

Discípulos †eus - Estudos : Devocional Diário - Não Desanime!: Imagine que você é uma tela, e Deus o artista, porque não confiar na experiência dele, em pintar belas cenas? Porque não confiar a ele a ...



Venha ler!

26 de outubro de 2017

Uma história



Então, eu vou contar a história da amiga da amiga da prima, que é amiga de uma amiga minha, que achava que ia morrer solteira. Que trágico não? Um pouco dramático, um pouco forte. O tipo de coisa que se fala depois da quinta caipirinha. E ela tinha tomado a quinta, de frutas vermelhas. Eu só estou repassando os fatos, mãe do céu, não me julguem. O fato, e eu amo os fatos, é que ela estava furiosa. Ela estava muito furiosa, e a amiga da amiga da prima dessa amiga da minha amiga me disse o que ela falou depois da quinta caipirinha.


"Mas tá tudo errado mesmo! E eu vou ficar solteira pra sempre.. só porque esse mundo é ingrato. Eu estou errada por acreditar que isso seja uma realidade? As pessoas começam um relacionamento por quê? Por causa delas mesmas. Porque elas são solitárias. E começam a namorar com quem? Com pessoas que são o seu reflexo. Mas acontece que depois de olharem o reflexo, elas vêem os defeitos delas no outro e o que fazem? Tentam mudar nos outros o que não conseguem nem mudar nelas! (Pausa para um arroto). E eu, sou obrigada a ficar solteira. É por isso que as estatísticas dizem que 90 dos 130 casais que casaram hoje, não vão passar dos dois anos de matrimônio. Qual é a graça de querer mudar alguma coisa na pessoa por quem me apaixonei? Eu conheci um cara, e ele gosta de jogar poker com os amigos. E contei isso pra uma amiga, e sabe o que ela me disse? "por enquanto você não pode mudar isso nele." Porque eu mudaria algo nele? Algo que veio junto com o cara pelo qual me apaixonei?(Nessa hora o bar- man enxugou uma lágrima com o pano de prato, e o bêbado ao lado também chorou). Eu não quero ficar com alguém que acha que meu cabelo fica ruim do lado esquerdo. Quero alguém que ache divertido que eu goste de jogar boliche, e que se importe o bastante pra que eu mereça dele uma ligação, um eu te amo sincero. E o que é o amor? Um sentimento? Uma ova que é! Sentimentos são voláteis kkkk solúveis, volúveis!! O amor é um verbo. Imutável. E um verbo não se sente. Se faz. O amor é feito por duas pessoas. Não existe predestinação, milagre, alma gêmea. Existem duas pessoas que vão fazer isso dar certo, porque se apaixonaram uma pela outra. É por isso que dá certo! Vamos brindar, sorte nossa existir essa coisa de fazer amor!! Sabem quantas vezes eu saí pra jantar e o cara desapareceu antes até do primeiro beijo? Sabem quantas vezes eu fui cantada e nem tiveram a decência de me chamar pra sair? Sabem quantos caras fugiram com o buquê de flores?? Vocês não sabem?! Nem eu. E é por isso que eu vou ficar solteira, porque uma loira, magra que só fala bobagem é mais bonita que eu, (ela chorou), e o cara por quem me apaixonei, prefere ouvir eu te amo, dela, eu aposto que sim. Na verdade eu não sei. Mas ele também não me disse."


Na verdade meus caros, vamos ignorar o comentário final. E ficar com este, (meu preferido): "o amor é um verbo". E vamos ficar também com a frase: "mas também não me disse." Já somos adultos o bastante pra entender que o amor é algo muito sério, não se pode misturar isso com sentimentos. Você pode sentir fome e se alimentar. O amor é algo como sentir fome e dar algo de comer a outra pessoa. Quando o padre diz coisas como carne de sua carne, ele quer dizer que o amor, custa muito caro, ou seja, sua própria vida, e se você ama, porque não deixar aquela pessoa saber? E bem, nossa amiga estava furiosa porque acredita nisso. Devíamos crer nisso ao nos apaixonarmos, e devíamos crer nisso quando ajudamos alguém ao longo da vida. E bom, a amiga da prima da amiga da minha amiga, disse que amiga dela foi pedida em casamento. No fim das contas. O amor vence. Porque o amor é um verbo, tão vivo quanto o coração que uma garota entrega a um rapaz.

25 de outubro de 2017

O medo


Engraçado ouvir falarem sobre o medo hoje. É que de repente a vida as vezes nos enche de chances pra temermos. E o medo é um sentimento muito injusto, justamente por minar nossas confianças mais genuínas. O medo paraliza nossas melhores intenções, nossa melhor canção, nosso grande sonho. E quem de nós não teme? Uma vida vazia, uma velhice solitária, uma morte súbita? Quem de nós nunca pensou no "e se"? "E se eu tivesse dito que a amava?", "E se eu tivesse pedido demissão?", "E se eu tivesse escolhido o roxo?", quem nunca teve medo de tomar um fora, de perder a estabilidade, de assumir a sexualidade? Então chega um momento em que nos damos conta, como bem me disse um bom amigo: "aquilo que eu temia me sobreveio". Quem mais temeu uma vida vazia, nunca achou o real significado de viver, por que encheu sua existência de coisas, mas coisas não suprem o vazio da alma. Quem mais teve medo de envelhecer sozinho, cercou-se de pessoas que não estiveram presentes nos momentos mais decisivos. Quem mais temeu a morte, viveu sem saber que gosto tem a vida. E nos damos conta, que quem quase amou, não foi amado, quem quase mudou de vida, ainda continua naquela vida mais ou menos e quem quase escolheu roxo, ainda usa cinza. O que a gente precisa pra se dar conta, que é o aqui e o agora que mais contam? É o que você faz com as suas decisões que pode te lançar ou te destruir, por que ter medo pode não ser uma opção, mas o que fazer com o medo, ainda é escolha sua. Você bem pode pegar seus medos e alimentá- los, chamar de neném e olhar pra eles todos os dias em que você se olha no espelho, ou você pode dizer pra eles que você não tá nem aí pra eles, eles podem gritar, espernear e se descabelar, mas você está num relacionamento muito sério com a sua coragem e a sua cara de pau. Não tenha medo de dizer "eu te amo", não guarde isso pra você, não engasgue guardando verdades, por que a vida é muito breve e nós não somos deuses. Faça mais por você mesmo, acredite nos seus sonhos, alimente sua esperança, escreva poemas, beba guaraná, vista uma roupa legal, passe maquiagem, ouse ser você. O medo não resiste à autenticidade. O medo não existe diante da felicidade, ele nunca irá se sobrepor ao amor. Tenha paixão pelos seus objetivos, encontre algo que te dê prazer, beije muito na boca e não se esqueça de tomar sorvete. Entendedores me entenderão. E por fim, seja seu herói, sua heroína preferida, não delegue esse posto pra ninguém por medo de ser você mesmo. E seja feliz ☺.

24 de outubro de 2017

Ainda sobre significados


Engraçado essa coisa de significado. Um nome pode significar muita coisa, mas pode não ter nada a ver com quem o carrega. E alguém pode significar nada pra outra pessoa. Então percebemos que na matemática que rege o universo nem sempre dois mais dois são quatro. Eu acredito muito nos significados, eles nem sempre carregam nomes com formalidades, protocolos ou contratos, mas são tão sérios quanto. Tem pessoas que lutam pra significar alguma coisa na vida, pra significar alguma coisa pra alguém. E as vezes ficamos cercados por tantos significados que não são nossos. E cada um tem a sua história, o seu trajeto, a sua individualidade. Mas o pior de tudo mesmo, é significar nada pra alguém que você gostaria, com toda sua alma e seu coração, de significar tudo. Hoje de manhã uma moça entrou no ônibus. A expressão dela era muito desesperada. Ela precisava pegar o ônibus que iria direto pra rodoviária, mas esse ônibus não passou. Ela não podia perder o ônibus pro Rio, esbravejou dois palavrões e bom, parecia que ia chorar. Nessa hora eu me perguntei o que significa o que eu estou fazendo com a minha. De repente me pareceu que a maioria de nós apenas corre atrás do rabo. Queremos sucesso em nossas carreiras, queremos ficar ricos, por quê não? Queremos coisas bonitas, casas bem decoradas... mas qual é o significado disso? Nos vestimos bem, comemos em lugares caros. Isso esmagou meu coração essa manhã. O que eu estou fazendo com a minha vida?! É bem aqui que todos aqueles significados que você ajuntou debaixo das asas, como uma galinha que junta pintinhos, perdem o valor, despencam como ações da bolsa de valores, vão a falência. Eu tive vontade de me sentar e chorar longamente, porque não é fácil ver algo escorrer pelos dedos. Não é fácil perder. Ainda mais se você já tentou tantas vezes. Como com a moça que precisava ir pro Rio, as vezes o ônibus não passa. E tudo que temos a fazer é esperar outro, fazer uma prece e desejar que embora nossos corações fiquem partidos, tudo fique bem. Nessas horas até um "tá bom" deixa tudo mais claro. E não chore caso você ache que o amor não tenha chego pra você. Não se preocupe. E não perca o entusiasmo. Continue remando, mesmo com os dedos doendo, porque ao fim de todo trabalho tem uma recompensa significativa.

23 de outubro de 2017

Pequenas rotinas, significados imensos




É de noite. Estou voltando pra casa. É muito bom saber que terminei bem o dia. Não foi mais um dia. Foi um dia de boas lutas, boas risadas, com altos e baixos. E sabe, tem dia que você sangra pelas suas resoluções, pelas soluções alheias. Mas um dia o medo se vai e você enxerga como tudo é simples e claro, também raro. Uma única frase de alguém pode ser apenas isso mesmo. Mas uma única frase da pessoa certa pode te devolver a inspiração. E lá vamos nós de volta pra casa. A lua brilha no céu pintado de estrelas e penso nele. Eu achei que era boa em me esquecer das coisas, mas me dei conta que não preciso esquecer se eu não quiser. Posso viver tudo que eu quiser viver. Posso manter minhas mágoas ou esquecer delas, assim como esquecemos qualquer noite de verão. Quem é ele? O tédio do dia- a- dia, aquele que nos acompanha nas nossas rotinas. Eu sorrio pra ele como uma garotinha travessa encantada com o parque de diversões. Sabe, temos que repensar sobre o tédio. As pequenas coisas monótonas mantêm a vida... Um delicado beijo repousado nos lábios do marido que sai apressado pro trabalho. O afago nos cabelos desengonçados do pequeno garotinho com a mochila da escola. O suave apertar de mãos que fecha um acordo. A singela troca de olhares quase imperceptível que os amantes trocam sentados no banco da praça. O sorriso de canto que uma mãe dá ao saber que sua garotinha está virando uma mulher. o simples "eu aceito" em um matrimônio, são coisas tão pequenas com significados tão imensos. Devíamos olhar mais os pequenos rotineiros detalhes de quem amamos. Por Deus que deveríamos. Deveríamos encostar nossos ouvidos em seus corações durante um abraço apressado e sentir... a vida. Faz anos que deixei de ser uma menina. Mas minha lembrança mais sólida é da minha mãe fazendo o café da manhã. O cheiro do café passeando pela casa toda até o meu quarto, e eu ficava feliz em levantar da cama, e no silêncio, nós duas na mesa, na minha frente uma caneca cheia de café fumegante, o barulho crocante do pão francês, a luz fraca do sol entrando pela fresta da janela. Tudo que me lembro, já mulher feita, é dos nossos olhares de cumplicidade, coisa de mãe e filha. Coisas que embora eu tivesse vivido muito, eu gostaria de aproveitar mais. Eu e minha mãe nos tornamos mulheres muito cedo. E acabamos trazendo no peito algumas asperezas. Coisas que o passar do tempo transformou em uma poeira perto de todo essencial. E hoje voltando pra minha casa eu senti falta da casa dos meus pais. Senti falta das estrelas fluorescentes coladas no teto do meu quarto. Senti falta do grito da minha mãe pra apagar a luz acesa a toa. Senti tanta vontade de tomar aquele café. É, hoje não foi mais um dia. Mas terminei bem. Por Deus que terminei. Por que as estrelas agora brilham num céu bem real, e o café quem faz sou eu. E eu aproveitei tudo que eu tinha lá em casa. E bem lá no fundo, embora minha mãe não diga, ela tem orgulho. E isso, me dá segurança pra seguir em frente. Foi o que senti nesse dia das mães quando ela me apertou contra o peito e naquele abraço apressado eu me senti completa e apaziguada. Reconciliada com meu futuro. Venha o que vier, estarei pronta na mesa, pela manhã, com minha caneca cheia de café.


22 de outubro de 2017

INCA - Instituto Nacional do Câncer (Rio)



Informações para quem mora no Rio de Janeiro (ou que queira vivenciar boas experiências):
Quem conhece os INCA? O INCA é o Instituto Nacional de Tratamento de Câncer. Eu me trato na unidade do Centro, já há 3 anos. Lá na unidade do Centro, existem muitas crianças se tratando também, adultos, velhinhos, pessoas internadas, que fizeram procedimentos, cirurgias, transplantes (por que lá dentro, tem o CEMO (que é o centro de transplante de Medula). Porque eu estou falando do INCA? Pra incentivar você, sua igreja, sua corporação, seus amigos, sua famíla, a serem pessoas que podem ajudar pessoas. Como isso pode ser feito? Eu vou dar pra você 5 coisas hoje que você pode fazer, que são simples e que pode ajudar as pessoas que têm câncer, e o legal, é que se você não for do Rio, você pode praticar na sua cidade/estado:
1- Doar sangue, plaquetas e medula;
2 - Doar brinquedos;
3 - Doar alimentos não perecíveis;
4 - Doar roupas e calçados em condições usáveis;
5 - Fazer visitas, levar alegria.
Olha que legal! Aqui nesse link que estou colocando, tem todas essas dicas e mais:
Seja solidário, olhe pra quem a sociedade insiste em não querer olhar, são pessoas maravilhosas, passando por tempestades, como todos nós passamos, e as vezes, nós podemos ser os remos e barcos pra essas pessoas atravessarem o momento difícil! Existem muitas coisas bonitas que podem ser feitas no mundo pra melhorar ele!
Conto com vocês, nessa luta! <3

Music Box Studio - Tijuca - Rio de Janeiro

JÁ MARCOU O ENSAIO DA SUA BANDA, COM O MUSIC BOX STUDIO?

Precisando de um estúdio na Tijuca e região? Conheça o Music Box Studio!

Sala ampla com equipamentos de ponta (Fender, Marshall, Ludwig, Hartke, GK, EV, Shure e muito mais). 

Marque o seu horário: (21) 2572-1106 / 98827-1106

Conheça o novo Site: musicboxstudio.com.br

O Music Box Studio também tem Facebook, onde você pode ver nossas atividades mais recentes:











Escudo Sob Medida - Atende Todo Brasil e Exterior

Você possui um time de futebol e precisa de um escudo novinho em folha ou remodelar aquele antigo? Então oferecemos uma ótima oportunidade!
Traga a sua ideia que chegaremos a um excelente resultado!

Está sem ideia? Então jogue essa bola pra gente que a gente mata na caixa e faz o gol. Remodelamos, redesenhamos e fazemos reparos no seu escudo atual.

Contato:

Daniel Accioly

E-mail: daniel.accioly1@gmail.com

WhatsApp: (21) 98635-5144

Instagram: @escudosobmedida

Facebook: https://www.facebook.com/EscudoSobMedida/?fref=ts

Site (novinho): www.escudosobmedida.com.br



Julio Magalhães Serralheria - Petrópolis

Uma Serralheria tradicional em Petrópolis, com mais de 20 anos no mercado, agradando clientes desde sempre! Especialista em: Portas, Portões, Portas Pantográficas, Basculantes, Vitrô, Escada Caracol, Porta Social, Estrutura Metálica, Portas de Aço, Fechamento de Áreas. 

Entre em contato pelos seguintes telefones: (24) 2249-2618 ou (24) 98829-0974






Eliane Schimel Modelista & Costureira Sob Medida- Petrópolis

Você precisa de roupas sob medida? Está cansada de procurar e não achar as roupas que você deseja usar? Não encontra o vestido de noiva Ideal? Seus problemas acabaram, Eliane Schimel Modelista & Costureira Sob Medida, faz modelagem com graduação de tamanhos, corta, faz peça piloto, faz roupas sob medida da mais simples ao vestido de casamento, faz reformas em roupas já usadas, bainhas e consertos em geral.

Entre em contato por e-mail: elianeschimel@gmail.com

ou

via in box pelo Facebook: https://www.facebook.com/ElianeSchimeldeMagalhaes

Das duas formas, forneço o meu número de telefone pra conversarmos, sobre orçamentos!!


#Modelo #corto #costuro #TragaSuaIdeia #conserto #reformo #Noiva








Julio Magalhães Serralheria - Petrópolis

Uma Serralheria tradicional em Petrópolis, com mais de 20 anos no mercado, agradando clientes desde sempre! Especialista em: Portas, Portões, Portas Pantográficas, Basculantes, Vitrô, Escada Caracol, Porta Social, Estrutura Metálica, Portas de Aço, Fechamento de Áreas. 


Entre em contato pelos seguintes telefones: (24) 2249-2618 ou (24) 98829-0974





Lizia Willmersdorf - Fonoaudiologia, Desempenho Escolar e Psicopedagogia- Ipanema - Rio de Janeiro




APRENDA A ESTUDAR!!! Dúvidas na Escola? Nós podemos ajudar! Não deixe para o final do ano! Recupere suas notas com a ajuda de profissionais especializados.

Tel: (21) 3813-1074

Atendimento individual e em grupo
Reforço escolar de todas as matérias do primeiro e segundo grau
Acompanhamento escolar
Atenção, concentração, organização, memória visual e auditiva
Produção textual (redação)
Alfabetização
Psicopedagogia
Fonoaudiologia

Venha nos visitar!!

No Instagram: @liziawillmersdorf

ou

Na Rua Visconde de Pirajá , 281 Salas 216/217
Ipanema , Rio de Janeiro - RJ

20 de outubro de 2017

Mexeu com uma, mexeu com todas?


“- Mexeu com uma, mexeu com todas?”

“- Nem sempre, nem sempre, depende.”


Aaaah as opiniões e os opinantes. Vou opinar, vou opinar, calma. Não posso dizer que não simpatizo com a causa feminista, porque eu sou mulher, sou beneficiada pela luta, porém, prestem bem atenção, muita atenção, eu não sou feminazi, nem apoio extremismo, então, nada de polêmica aqui. Não simpatizo com as ideias extremistas do movimento, porque ao meu ver pessoal, muito pessoal, extremismo não leva ninguém a lugar algum. Mas eu reforço o direito de lutarem, eu reforço, e eu simpatizo com várias outras ideias, que eu quero explorar nesse texto, que eu quero esmiuçar, sobre a história do feminismo, sobre as pessoas que estiveram lá no início de toda história, muito resumidamente.


Breve contexto histórico:


"A Charles Fourier, um socialista utópico e filósofo francês, é creditado por ter inventado a palavra "feminismo" em 1837. A expressão "feminismo" e "feminista" apareceu pela primeira vez na França e nos Países Baixos em 1872, no Reino Unido na década de 1890 e nos Estados Unidos em 1910. O Oxford English Dictionary lista 1894 como o ano da primeira aparição do termo "feminista" e 1895 para a palavra "feminismo". Dependendo do momento histórico, da cultura e do país, as feministas tiveram diferentes causas e objetivos. A maioria dos historiadores feministas ocidentais afirmam que todos os movimentos que trabalham para obter os direitos das mulheres devem ser considerados feministas, mesmo quando eles não apliquem o termo a si mesmos." 


O feminismo foi divido em três ondas:


"A primeira onda do feminismo se refere principalmente ao sufrágio feminino, que foi o movimento pelo direito ao voto nas eleições, movimento que ganhou força no século XIX e início do XX.


A segunda onda se refere às ideias e ações associadas com os movimentos de liberação feminina iniciados na década de 1960, que lutavam pela igualdade legal e social para as mulheres", e foi muito importante e fundamental ao meu ver, pra remover da figura feminina o ideal de que ela era uma propriedade e não um ser humano pensante, capaz e autônomo,  ele vinha removendo a ideia de que ela não poderia sair pra trabalhar e ter os mesmo direitos de um dito chefe de família, que era sempre destinada ao cuidado do lar, só que né, migas? O mundo sofre revoluções, e a mulher quis o mundo, e fez ela muito bem. O problema todo, era a época, conservadora demais, homens vindos de lares onde seus pais, maridos de suas mães eram os únicos provedores, macho alfa.


"Já terceira onda seria uma continuação e, que segundo alguns autores, é uma reação às falhas das primeiras ondas". 


"A primeira onda de feministas, ao contrário da segunda, preocupou-se muito pouco com a questão do aborto; no geral, eram contrárias ao conceito. Os pontos de vista sobre o casamento, sustentava que uma mulher deveria ter o direito de recusar-se a fazer sexo com seu marido, o que antigamente era uma heresia, a mulher não tinha, até então, qualquer recurso legal contra o estupro por seu próprio marido. Primordial, em sua opinião, era conceder a mulher o direito ao seu próprio corpo, que ela via como um elemento essencial na prevenção de gravidezes indesejadas, através do uso de abstinência como método contraceptivo, um direito ao próprio corpo, que qualquer ser humano precisa. A segunda onda do feminismo é um movimento feminista que começou no início de 1960 e continua até o presente; como tal, coexiste com o feminismo de terceira onda. A segunda onda feminista é bastante preocupada com as questões de igualdade que vão além do sufrágio, como acabar com a discriminação.”


“As feministas da segunda onda veem as desigualdades culturais e políticas das mulheres como intrinsecamente ligadas e incentivam as mulheres a entender os aspectos de suas vidas pessoais como profundamente politizados e como o reflexo de estruturas de poder sexistas.”


“A terceira onda do feminismo começou no início da década de 1990, como uma resposta às supostas falhas da segunda onda e também como uma retaliação a iniciativas e movimentos criados pela segunda onda. O feminismo da terceira onda visa desafiar ou evitar aquilo que vê como as definições essencialistas da feminilidade feitas pela segunda onda que colocaria ênfase demais nas experiências das mulheres brancas de classe média alta.”


fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Feminismo


Minha vó, tem 73 anos, ela se casou obrigada com meu avô, literalmente e somente, porque o irmão dela mais velho, chamado arrimo de família, pois fazia um papel essencialmente fraterno paternal do clã, quis se casar com a irmã do meu avô, e nessa brincadeira, ele casou com a irmã da família Schimel, e fez duas das irmãs Miranda, se casarem com os dois rapazes Schimel restantes. Minha avó, não pode estudar, seu pai era violento, matricularam ela na escola e logo desistiram, não sei bem o motivo, mas eles mudavam muito de cidade, segundo minha avó, talvez seja por isso. Na época de adolescente e jovem, o máximo que a minha avó, a mãe dela, as irmãs e irmãos recebiam do patriarca da família, eram reprimendas e surras educativas, violentas, tudo era parte de um comportamento imposto, amedrontador, um comportamento do meu bisavô que era bem despótico, porque ele diminua as pessoas da própria família, pra ser superior a elas. O sexo era parte obrigatória, do relacionamento, a bisa, teve vários bebes, inclusive gêmeos, que faleceram. Ela não podia se recusar ao ato sexual, de maneira alguma, mesmo que forçada ou sendo machucada, não retirava se que a roupa, e era tudo, orgânico e desapaixonado. Quando o homem da casa chegava, a mulher abaixava a cabeça e falava baixo, as crianças muito quietas e com medo, deitavam em suas camas e evitavam até respirar alto, se fizessem artes, apanhavam ruidosamente e eram punidos com castigos, além das tarefas que precisavam fazer durante o dia, pra ajudar na subsistência da família. As meninas aprenderam a arte do corte e costura, os rapazes foram todos ensinados no oficio de chaveiros, sendo assim “minha família” detém o título em Petrópolis, de possuir a primeira e mais antiga casa de chaveiros da cidade. Todos os garotos Miranda e posteriormente os Schimel e os agregados trabalharam lá. Voltando as mulheres, ir ai cinema tinha que ser feito apenas acompanhada de mãe e parentes, era indecoroso a modernidade de andar sozinha por ai, e isso se refletia em tudo, a mulher não podia ficar sem companhia, pois o pensamento era de que ela “seduziria alguém”, e isso não se aceitava. E minha vó, cresceu assim, nesse ambiente, namorou meu avô, e ela conta que beijar na boca e conversar não era bem visto e ela nem gostava, achava nojento beijar. O namoro foi conturbado, meu avô já exibia o “malandreado” do machismo, não a deixava cortar o cabelo, usar salto alto, maquiagem, se produzir era proibido, porque ela era sua posse, seu objeto. A primeira filha da minha vó, nasceu quando ela fez 19 anos, na flor da idade, através de algo que meu avô fez com ela, que ele chamou de “brincadeira”. Pensa que os irmãos dela quiseram matar ele? Não, ele não foi punido, ou xingado, repreendido, mas a minha avó foi. Lhe fizeram um casamento as pressas, ela foi morar com a sua sogra e sua vida acabou-se, em termos, porque ela teve 11 filhos a quem ela ama e sempre se dedicou, se por um lado seu casamento não lhe dava escolhas, seus filhos lhe preenchiam completamente. E a vida dela com a sogra, também exigia seus sacrifícios, ela tinha que seguir as regras da casa. Sentiu solidão, e não pôde conversar com ninguém, se sentia feliz demais quando ficava grávida, mas não havia amor, havia respeito, que foi se deteriorando com o passar do tempo. Meu avô passou a beber, não era uma pessoa ruim, mas era um pai ausente, que nos moldes tradicionais, deixava pra esposa o cuidar do lar e dos filhos, não se envolvia em nada, só punha dinheiro na mesa, e exigia cama, comida, roupa lavada e obediência, não podia cortar o cabelo, ela mesma costurava suas roupas e as roupas das crianças. Com o tempo, e a bebida, meu avô foi saindo da linha, houveram traições, inúmeras, minha vó, não pensem que não, contraia doenças sexuais por isso, camisinha e anticoncepcional? Hahahahahah. Ele teve 7 partos em casa, na cama do quarto dela, a bisa a proibia de levantar da cama e se lavar, e ela dizia que era bem nojento ficar nessas condições, por três dias, e resguardo? Hahahahahahhaa. Passava 40 dias de nascimento do bebê, 30 dias era o resguardo da menina, e o do menino era 40, acabaram esses dias? A pessoa não queria saber se a outra estava se quer menstruada, enjoada ou cansada, sexo era obrigação da esposa, uma dentre as suas muitas funções. Como a displicência total do meu avô, e ele cada vez mais bêbado e desinteressado do vida no lar, minha avó foi obrigada. A assumir o lar, pondo o dinheiro na mesa. Fazia bolos, lavava roupa, cuidava de crianças de vizinhas, costurava, isso tudo equilibrando seus filhos em carreirinha, 11 crianças, as meninas mais velhas, já saiam pra trabalhar cedo também, pra ajudarem nas despesas, foram 17 anos na casa da sogra, sem privada, vaso sanitário 🚽 e sem pia de cozinha. E ela não podia reclamar, pra uma mulher como ela, era muito. O tempo passou, e a vida, tratou com rudeza, de ensinar a ela algumas coisas que nós, com 30 anos, não precisamos aprender hoje em dia. Ela descobriu o que era, pílula e ligadura, só no décimo filho. Minha avó, nasceu na década de 40, passou pelos anos 50, viu muita inovação, as mulheres que tinham mais dinheiro por causa de seus maridos, tinham seus objetivos, as vezes se tornavam professoras, mas isso era algo que acontecia em famílias de nome e dinheiro, uma pequena parcela de individualidade e independência, mas não muita. Ela tinha seus sonhos, de escrever suas histórias, mas nunca soube ler e escrever bem. Os sonhos ela deixava de lado e criava os filhos, até que nos anos 80, mas precisamente em 86, meu avô pela primeira vez, já vindo bêbado, sujo, desleixado e há muitos anos sem emprego, vinha chegando em casa, querendo bater nela, por achar que ela o estava traindo ou alguma coisa dessas, que o homem machista arruma desculpa pra bater numa mulher, porque deu vontade. Naquele dia, ela o expulsou de casa, e se desquitou. Em 1986. Os filhos já grandes, a maioria trabalhando, ela acolheu todos debaixo das asas até saírem todos em busca de seus lares com outras pessoas. Passou a se arrumar mais, foi morar em outra cidade, passou a beber champanhe, (não nessa ordem kk), ela conquistou uma emancipação de um casamento conturbado, ao qual, nem respeito salvava mais. De 80, em diante, ela viveu sua vida sempre evoluindo de uma casa mais bonita pra outra, sempre decorando aqui e ali, sempre fazendo festa, café da tarde, almoços, não voltou a se casar, se quer pensou em ter outro homem, porque herança do patriarcado machista, é forte, não pensem que não. E a cultura patriarcado machista, é o total controle da criatura que eles julgam ser a mais frágil. Meu avô, faleceu já há 4 anos, morou em um asilo, muito bom, muito bem cuidado por anos, os filhos a maioria se afastou, os netos ele não aproveitou nenhum, e assim foi. Hoje em dia, minha avó tem direito a uma pensão do governo, de aposentadoria por idade, e ela vive bem, viaja pra Friburgo sempre que quer, ainda faz corte e costura, mas hoje ela faz pra se distrair.





Bem, acho que vocês entenderam como funcionava a máquina naquela época e as marcas que machismo deixa na sociedade, uma marca feias e vergonhosa. Minha avó foi apenas uma dentre as milhões, de mulheres na história, impedidas de ter o controle sobre seus corpos e suas vontades. Se por um lado o homem podia tudo, dirigir, votar, ter empreendimentos em seu nome, decidir o que fazer com seu dinheiro, seu sexo, seu corpo, a mulher, não não. Aborto espontâneo, acontecia, cogitar aborto e praticar, é crime, inclusive ainda hoje. Não defendo, prestem bem atenção, o aborto por causas banais ou não, e jamais incentivaria alguém a fazer um aborto por qualquer que fosse o motivo. No entanto, o que eu penso ser bom pra mim, é parte de um intricado de leis machistas rígidas que ainda impedem a mulher de cuidar de si mesma, de ter responsabilidade pelo seu corpo, uma feminista sensata, não fará um aborto, porque é safada, sem coração, assassina, ou qualquer outro adjetivo que venha a sua mente, ela quer ter a escolha de ter um filho ou não, se ela é dona de si e responsável, ela não irá engravidar se ela não quiser, ela vai usar camisinha, ou contraceptivos. Escolhas fazem parte da liberdade humana. A mulher precisa ter direito a escolha. Quando eu penso que o aborto deveria ser legalizado, não é porque eu quero que mulheres abortem organicamente qualquer gravidez indesejada, quando eu defendo o ato dela ser livre pra abortar, através de uma lei, eu estou validando a liberdade de escolha dela, e confiando nos critérios dela, porque o aborto não espontâneo é um ato de responsabilidade consigo mesma. Não concordo com o aborto, porém não defendo sua criminalização como forma se cercear a liberdade. Quantas mulheres sofrem caladas apanhando do marido, porque a lei, só vale depois que ela for assassinada? Vemos casos recentes na TV todos os dias, mulheres assassinadas brutalmente por sexo, porque sim, e porque deve. A mulher vai na delegacia, dá queixa de abusos do parceiro e volta pra casa, é assassinada, e o ministério público vem na TV, e diz: “Não pudemos ajudar, chegamos tarde”. Quando acontece dentro do Big Brother, é bem bonito a delegada encabeçar o caso e levar o caso adiante, independente da vítima dar queixa ou não, quando é o cantor que supostamente bateu na mulher gravida, é bonito ele ser indiciado pelo crime de agressão, mesmo sem corpo de delito, mas quando sai fora dessa linha, as mulheres apanham e são mortas brutalmente, porque crime passional sempre é brutal, e são enterradas e choradas, por suas mães e irmãs. Que não puderam fazer nada pra ajudar, porque igualmente a vítima, elas também residem num lugar machista, sexista e extremamente patriarcal. A gente tem que parar pra pensar que por hora, nenhuma feminista pode pedir direitos iguais, porque faltam os direitos básicos, nas leis e nos homens em geral, no ser humano. Eu não defendo aborto, não defendo a pessoa não se depilar, não defendo ela tratar homem mal só porque ele é homem e homem é o sexo opressor, eu defendo a liberdade delas terem opiniões, mesmo que eu discorde de suas opiniões. A constituição dos direitos humanos prega a liberdade entre humanos, sem distinção entre sexos, cor, etnias, sem distinção. Sempre que houver um homem e uma mulher no mundo (se ele não acabar), eles irão merecer a liberdade pra exercerem seus papéis de direito e escolha. É assim que eu vejo. Não defendo o “mexeu com uma mexeu com todas”, defendo que toda mulher possa e consiga se defender e ter direitos humanos pra si, o direito dela ser solteira, de ser mãe, de trabalhar e ganhar o justo por seus trabalho, assim como os homens livres também fazem. Defendo todo o direito da mulher ser quem ela quiser, contando que ela chegue lá por seus méritos, seu suor, sus valentia e beleza. Defendo que se mexerem com uma, ela tenha o direito e a liberdade de se defender, que é o que eu identifico hoje na sociedade. Quando uma feminazi age fora disso, quando ela cerceia um homem, isso não é a igualmente sendo propagada, isso é apenas a herança patriarcal dela fazendo reflexos. O movimento no Brasil, tem muito oba oba, vide o recente caso José Mayer, que acabaram descobrindo que a moça era amante dele, mas que no entanto a história toda é pilhéria, ela não quis prestar queixa, segundo o colunista Leo Dias, todos na Globo sabiam do caso porque que era visível, o José Mayer escreveu uma carta no mínimo possível pra amenizar, como se tudo fosse quase normal, e as famosas artistas, defenderam a moça, com camisa, campanha, e pra quê? Pra no fim, a causa ser outra, era o gim pretenso de um relacionamento extraconjugal, onde uma mulher se beneficiou de um artifício, pra forjar um caso.


Então, não é bem assim não, “Mexeu com uma, mexeu com todas”.


A expressão deveria certa tem que ser diferente e ir além:


“Mas se mexer com uma, que ela tenha liberdade pra se defender. direitos iguais, mesmo sendo do sexo diferente. Porque somos todos humanos.”





Bem, o assunto é extenso. Vai faltar tópico ai, mas vou finalizar aqui, e retomar em outro texto posterior que já está no gatilho!!

19 de outubro de 2017

Sobre a Páscoa


Ele ama festas. Muito mais do que algumas pessoas entre nós, menos do que outras rs. Pra ele, estar num lugar onde se pode compartilhar o amor, é essencial. Com amigos mais chegados, sempre a mesa, essa era uma de suas façanhas, reunir pessoas improváveis num mesmo lugar. Eu confesso, ele tinha esse dom, poucos anfitriões no mundo colocariam na sua mesa um cobrador de impostos corrupto e uma prostituta, e ele não só amava essas pessoas, ele compartilhava com elas, suas refeições, suas verdades, seu caminho. As pessoas por sua vez, queriam a amizade dele, ele discursava tão bem... Quem em sã consciência deixaria escapar esse homem que transformava um pequeno jantar, íntimo, num grande evento? Mas as pessoas não o convidavam por isso, não, ele nem era bonito, nem tinha diplomas importantes, ele era um carpinteiro, de mãos com calos, mas por suas atitudes de amor e esperança, ele mudava as pessoas por dentro. Sim, foi assim com a prostituta, e com o cobrador de impostos, foi assim com rabinos, cidadãos de Jerusalém, de Cananéia, da Galiléia, foi assim com sua própria mãe, foi assim com seus amigos mais próximos, foi assim com pessoas doentes, foi assim comigo. Era um domingo, depois do culto, um dia normal, eu fui tomar um Sunday no Maniconalds que é como eu chamo erradamente o Mcdonalds, (porque eu acho engraçado), e ele me chamou pra andar com ele. E eu fui, e os caminhos pelos quais passamos juntos, nunca me trouxeram arrependimento. Aprendi com ele, que quem senta a minha mesa, deve ficar farto, satisfeito e só deve sair dela quando estiver alegre. Aprendi com ele, que andar com ele, não implica num caminho sem dores, mas numa caminhada de ensinamentos. Aprendi a ser amada, não por ele, mas pelas pessoas com quem ele queria que eu compartilhasse momentos e amor. Eu amo seus ensinamentos e valorizo seu sacrifício e muito mais do que isso, tenho fé e confio nele. E desde que cometi esse ato de loucura de crer nele, eu descobri a felicidade. Lamento muito por aqueles que o entendem, rsrsrs ☺ ele não agrada a todos. Mas ele é assim, ele não veio pra agradar, não necessariamente. Ele a verdade, e a verdade é sempre um prazer desconfortável, para aqueles que tem fé. E é necessário ter fé, as coisas que ele ensinou, precisam desse olhar. Aquele que vem a ele com fé, participa de sua carne e seu sangue, que foram partidos por nós. O que foi motivo de morte, outrora, motivo de violência, hoje nos lembra que podemos compartilhar o amor, e a vida. Como se faz isso? A melhor maneira de compartilhar muita coisa com as pessoas, é uma festa! Ele ama festas kkkk seja com ovos caríssimos de páscoa, seja com um almoço simples em família, a ideia dele, que ama festas rs é sempre a mesma, “onde estiver dois ou três reunidos em meu nome, lá estarei.” 

18 de outubro de 2017

O sucesso


"Como vencer quando você não é o favorito". Li essa frase que é o slogan de um livro, com um pouco de desgosto. As vezes, algumas verdades quando nos saltam os olhos, causam esse sentimento de estar comendo algo ruim. Na vida, nem sempre somos os favoritos a vitória, e acredito que muitas pessoas não estejam preparadas pra perder. Afinal, são tantas as filosofias de sucesso hoje em dia, e a grande maioria das pessoas sempre testemunha seus sucessos nas mídias, é a mulher mais feliz do mundo porque realizou seu sonho de casar, a outra que conseguiu engravidar, é o homem que ficou rico após abrir uma franquia, o outro que comprou o carro do ano, aquela senhora que está fazendo sucesso nisso, aquele rapaz que é um vencedor por conta daquilo, é tanta vitória daqui, conquista de lá, que agora estou na verdade, estou me sentindo um pouco miserável por ter falhado em tantas coisas. Então, algumas questões ficam dançando na minha mente, se eu tivesse tido êxito, em todas as coisas até o fim da vida, o que será diferente, quando eu estiver diante da morte? Nada. Quando se está diante da vida, prestes a perecer, a única coisa que importa é o quanto você amou e foi amado. E as vezes, até nisso eu falho. Essa é a razão pela qual eu escolho o amor, porque não há mais nada sem ele. Sem o amor, eu sou como um sino enferrujado, que fica tinindo com o balanço de suas cordas. E amar, muitas vezes significa ser indomável, mas nunca orgulhoso, sensível, mas nunca dramático. O sucesso está em colocar o próximo, no mesmo lugar de honra, em que você mesmo já ocupa. E mesmo assim, eu ainda falho.

17 de outubro de 2017

Compaixão


Como algumas coisas são brutais, não é mesmo? E existem pessoas muito brutas na vida. Sem compaixão uns com as outras. As vezes nós nos questionamos sobre, "com quem eu devo ser misericordioso e compassivo?". Com todos. Sim, compassivo com o que feriu e com o que foi ferido. Com o que deu e com o que tomou, com o que bateu e com o que apanhou. Mas então você refletiria: "Se eu for compassivo com o que fez o mal, não haverá o reparo do dano, nem a justiça para o ato.", veja por outro ângulo, é a compaixão que impede da justiça ser temerária, pesada e arbitrária. A compaixão nos ensina a ter o coração sempre livre para perdoar as ofensas. Jesus nos ensina, no Pai nosso, a arte da compaixão, quando diz: "Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aquele que nos tem ofendido.", por muitas vezes, nós nos esquecemos que Deus nos trata com a mesma benevolência com que tratamos nosso próximo. Quando foi a última vez que você ajudou a alguém necessitado? Quando foi que doou um agasalho ou visitou alguém doente? Quando foi que conseguiu olhar um mendigo e por baixo da sujeira, enxergar o homem? Quando foi a última vez que acalentou alguém angustiado, que ajudou alguém a carregar um fardo? Uma palavra amiga, um gesto carinhoso. Quando foi a última vez que você sentiu compaixão? Eu não estou falando de religião, estou falando de amor. Professar o amor por quem nos agrada, é extremamente fácil, o desafio é fazer isso por quem contraria nossas vontades e ainda por cima ter que renunciar nosso orgulho. Alguns diriam que só Deus pode fazer isso, os ateus diriam que nem Deus. O mundo não precisa de mais armas, o mundo precisa de compaixão.

16 de outubro de 2017

Para Mulheres na idade do sucesso!


Com o passar dos anos a vida fica mais engraçada. Principalmente pra nós mulheres. Descobrimos aos vinte e poucos ou aos trinta, que o corpo de quinze não estava preparado, então olhamos nosso corpo maduro de hoje, e bem, sabemos ser elogiadas por ele, porque deu um pouco de trabalho chegar até aqui, dietas, malhação, folhas de alface, cultos intermináveis a beleza, pedicure, manicure, horas fazendo o cabelo, maquiagem, aquele vestidinho..., homens, valorizem isso! Descobrimos que estar apaixonada é algo maravilhoso, e que diferente dos 15, aos vinte e poucos ou aos trinta, sabemos o que esperar de uma paixão. Aos vinte poucos ou aos trinta, quase balzaquianas, descobrimos que ainda não somos aquilo que sonhamos ser quando tínhamos 17 anos, e talvez nem sejamos aos 40 e poucos, quase 50, mas estamos batalhando, muitas de nós ainda vai fazer uma faculdade, ainda vão se casar, ainda serão CEO de alguma corporação, ainda terão bebês fofos, ainda aprenderão a dirigir e ainda farão aulas de culinária em Paris. Descobrimos com o tempo, que zeros são bem vindos, e droga, nunca saberemos dizer se a esquerda ou a direita, e que tanto chocolate não pode fazer bem. E aprendemos que toda mulher tem celulite, apareceu depois dos quinze, e aos vinte e poucos quase trinta, diferente dos 19, nós não temos mais vergonha delas. Aos vinte e poucos, ou aos trinta, descobrimos que olhar a foto daquele ex e não sentir absolutamente nada, é perfeitamente normal, afinal, foi só uma paixão boba e ele era bonzinho, mas ser bonzinho não basta, tem que ser o Cara. Descobrimos que o amor é um Cara bem mais legal. Aos vinte e poucos ou aos trinta, amor ainda é uma coisa muita séria, tipo, se comprometer, e coisas sobre respeito, admiração e reconhecimento, mas que você só descobriu por que finalmente conheceu o homem certo. E descobrimos aos vinte e poucos, perto dos trinta, que foi legal todos os homens que passaram pela sua vida, se recusarem ser o Cara. Por que então esse Cara certo apareceu e fez toda essa loucura fazer sentido. Com quinze anos nós ouvimos das nossas tias ou das nossas irmãs mais velhas, que depois dos quinze, tudo passa muito mais rápido. E com vinte e poucos, ou aos trinta, descobrimos que elas tinham razão. Descobrimos aos vinte e poucos que nunca acharemos o shampoo ideal, e que nunca, realmente nunca, vamos curtir ficar "naqueles dias", e que diferente dos quinze, isso não é mais constrangedor, ou seja, já dá pra comprar absorvente na farmácia, no supermercado e na loja de conveniência, por que "você já é uma mocinha, rs". E por fim, aos vinte e poucos, ou aos trinta, estamos com nosso gosto apurado e com a nossa vida em alta performance, sem medo, sem mimimi, o que tiver pra hoje, com uma xícara de café. Descobrimos que ter uma lingerie bonita não é tabu, e que independente dos ritos de beleza, tem algo sexy naquela marca de expressão. É como se ela te encarasse e dissesse que você fez direito, e que é por isso que ela está ali, ela não é um monstro, é só a vida te mostrando um caminho. E por que a vida nos oferece esse caminho, nós descobrimos que diferente dos quinze, onde tudo era um drama, a vida é mesmo engraçada, de vários jeitinhos engraçados. E que igualmente aos quinze, nós podemos aproveitar!

15 de outubro de 2017

INCA - Instituto Nacional do Câncer (Rio)




Informações para quem mora no Rio de Janeiro (ou que queira vivenciar boas experiências):
Quem conhece os INCA? O INCA é o Instituto Nacional de Tratamento de Câncer. Eu me trato na unidade do Centro, já há 3 anos. Lá na unidade do Centro, existem muitas crianças se tratando também, adultos, velhinhos, pessoas internadas, que fizeram procedimentos, cirurgias, transplantes (por que lá dentro, tem o CEMO (que é o centro de transplante de Medula). Porque eu estou falando do INCA? Pra incentivar você, sua igreja, sua corporação, seus amigos, sua famíla, a serem pessoas que podem ajudar pessoas. Como isso pode ser feito? Eu vou dar pra você 5 coisas hoje que você pode fazer, que são simples e que pode ajudar as pessoas que têm câncer, e o legal, é que se você não for do Rio, você pode praticar na sua cidade/estado:
1- Doar sangue, plaquetas e medula;
2 - Doar brinquedos;
3 - Doar alimentos não perecíveis;
4 - Doar roupas e calçados em condições usáveis;
5 - Fazer visitas, levar alegria.
Olha que legal! Aqui nesse link que estou colocando, tem todas essas dicas e mais:
Seja solidário, olhe pra quem a sociedade insiste em não querer olhar, são pessoas maravilhosas, passando por tempestades, como todos nós passamos, e as vezes, nós podemos ser os remos e barcos pra essas pessoas atravessarem o momento difícil! Existem muitas coisas bonitas que podem ser feitas no mundo pra melhorar ele!
Conto com vocês, nessa luta! <3

Music Box Studio - Tijuca - Rio de Janeiro

JÁ MARCOU O ENSAIO DA SUA BANDA, COM O MUSIC BOX STUDIO?

Precisando de um estúdio na Tijuca e região? Conheça o Music Box Studio!

Sala ampla com equipamentos de ponta (Fender, Marshall, Ludwig, Hartke, GK, EV, Shure e muito mais). 

Marque o seu horário: (21) 2572-1106 / 98827-1106

Conheça o novo Site: musicboxstudio.com.br

O Music Box Studio também tem Facebook, onde você pode ver nossas atividades mais recentes: